Site oficial de Aníbal Reis Costa

anibalreiscosta2@gmail.com

Jornal de Negócios

RSS de Jornal de Negócios
  1. Professores avançam com iniciativa legislativa de cidadãos para contagem do tempo de serviço
    Um grupo de professores juntou-se para apresentar ao parlamento uma iniciativa legislativa destinada à contagem imediata de todo o tempo de serviço dos professores, que reuniu, até ao momento, 4.000 das 20.000 assinaturas necessárias.
  2. Aumento de custos nas empresas e subida dos juros dos EUA derrubam Wall Street
    As principais bolsas norte-americanas encerraram em terreno negativo, penalizadas pela subida dos juros a 10 anos dos EUA, que desvia muitas aplicações do mercado accionista para o obrigacionista. Os lucros apresentados por cotadas de peso têm superado as expectativas, o que aponta para uma época robusta nas contas do primeiro trimestre, mas o aumento de custos nas empresas suscita alguma preocupação. Com os reveses das tecnológicas a comporem o trio de pressão, Wall Street regressou ao vermelho.
  3. Macron aproxima-se de Trump e defende novo acordo com o Irão
    O presidente francês alinhou-se ao homólogo americano e defendeu que o actual acordo sobre o nuclear iraniano é insuficiente, pelo que defende a negociação de um novo compromisso que salvaguarde as preocupações do Ocidente. Trump garante que se o Irão ameaçar Washington paga "um preço".
  4. Fisipe quer avançar para despedimento colectivo de 60 trabalhadores
    O Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente do Sul ? Sitesul acusou hoje a administração da Fisipe de querer avançar com um despedimento colectivo de 60 trabalhadores até ao próximo mês de Agosto.
  5. Hospitais: passagem às 35 horas admite acordos para cortes salariais
    O Governo quer estender as 35 horas a todos os trabalhadores dos hospitais, quando alguns trabalham 40 horas. Mas na proposta de acordo colectivo que apresentou admite que haja acordos para reduzir salários. "Não é aceitável que as pessoas tenham de pagar para ter as 35 horas", dizem os sindicatos.